Category Archives: Quercus

Parceria com a Top Atlântico

Desde cedo que o Grupo WAMOS, ao qual pertence a Top Atlântico, tem consciência da importância que a sua ação pode ter para ajudar a minimizar o impacto das suas atividades no Planeta.

Não podemos  ignorar o nosso papel e a obrigação de ajudar a promover o desenvolvimento de um modelo de Turismo mais justo, mais equilibrado e mais sustentável.

Em janeiro de 2021 elaboramos o nosso Relatório de Sustentabilidade, onde diagnosticamos as práticas sustentáveis já adotadas, identificamos as que precisavam de ser melhoradas e delineamos novas ações e caminhos de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definidos pelas Nações Unidas.

O turismo tem um papel de destaque nesse processo pela sua relevância . Sabia que em 2019, 1 em cada 4 empregos no mundo foram gerados devido ao turismo. Esse cenário faz com que a atividade turística sustentável seja crucial para o avanço dos ODS.

Neste contexto decidimos desenvolvermos e promover  ações  em prol de um Planeta melhor e mais sustentável que assinaremos com o selo de “+Planeta”

+Planeta é o nosso compromisso com a Sustentabilidade através de várias iniciativas internas e externas. E porque o Core da nossa atividade são as Viagens, temos como caminho incontornável trazer componentes sustentáveis ao ato de viajar. Assim a Top Atlantico, lançou  o segmento Top Atlântico +Planeta com  Viagens +Sustentáveis onde apresenta desde Escapadinhas em Portugal, Expedições Mundo Fora e Viagens de Voluntariado.

Nos nossos programas de Viagem + Sustentáveis, privilegiamos sempre o recurso a fornecedores locais que contratam trabalhadores locais, promovendo a economia dos lugares; incluímos visitas aos mercados locais onde os viajantes possam fazer compras que alimentem e promovam os comerciantes e comunidades locais; incorporamos componentes formativas e de sensibilização à preservação da natureza e das espécies; visitas a parques naturais, cujo preço da entrada contribui para projetos de conservação; visitas ou interação com as comunidades, participando em projetos que contribuam para o desenvolvimento local e ou ensinem os viajantes sobre a cultura e património a preservar;  entre outras componentes.

E não sendo possível, para alguns destinos, viajar sem recurso ao transporte aéreo e motorizado , pretendemos fazer o offset das emissões de CO2 das viagens vendidas ao abrigo dos programas de Turismo Sustentável e trabalhamos para que  num futuro próximo faze-lo em todas as viagens  com a  colaboração e ajuda dos nossos viajantes.

Por esse motivo, assinámos um Protocolo com o programa CRIAR BOSQUES da QUERCUS, para que todos os programas de Viagem  Top Atlântico + Planeta contribuam com a plantação de árvores, criando assim  uma base de compensação de CO produzida por cada viajante nestas viagens.

O projeto CRIAR BOSQUES visa criar e cuidar de bosques de espécies autóctones, árvores e arbustos originais da flora portuguesa, tendo ficado definido no protocolo :

Plantar o número de árvores autóctones de acordo com a comparticipação recebida da WAMOS;

  • Definir os locais de plantação tendo em conta as parcerias como ICNF e a bolsa de terras;
  • As plantações serão efetuadas entre 15 de Outubro e 15 de Março de cada ano, dependendo do clima;
  • Organização de um dia/ano de atividades de voluntariado de plantação

As Viagens podem e devem tornar-se mais sustentáveis e contribuir para tornar os viajantes mais conscientes e mais interventivos em questões globais de sustentabilidade.

Estamos no início, há ainda muito a fazer, nomeadamente no que respeita à sensibilização de parceiros, fornecedores e viajantes que partilhem este desejo de tornarmos o Turismo mais sustentável.


Queremos dar o exemplo, mas apenas com o envolvimento de todos seremos bem-sucedidos neste desafio que é tornar o nosso Planeta num local mais saudável, mais verde, mais cuidado, mais amigo e justo para todos os que dele desfrutam agora e para as futuras gerações.

Quando viajar, viaje com consciência de que o seu impacto e a sua atitude podem contribuir para um Mundo melhor em termos ambientais e socioculturais.

Projeto de florestação de áreas de carvalho negral com a Kinahan’s Whiskey

As florestas e outras áreas florestais cobrem cerca de 30% do nosso planeta. A produção de oxigénio, a disponibilidade de habitats para muita da vida selvagem do planeta e a obtenção de alimentos, água e medicamentos são apenas alguns dos benefícios de florestas abundantes.

No entanto, neste momento, não estamos a fazer o suficiente, a nível global, para proteger este recurso vital.

A Kinahan’s Whiskey, marca conhecida pelos seus uísques irlandeses raros e inovadores, utiliza tipos de carvalho pouco comuns e outras madeiras no processo de envelhecimento. Por essa razão, a marca, sendo um produtor sustentável certificado pelo Governo Irlandês, traçou metas a longo prazo no que respeita à sustentabilidade dos recursos lenhosos no âmbito do seu processo produtivo.

É aqui que surge a parceria estabelecida com a Quercus, para a implementação de um Projeto único de reflorestação de áreas de carvalho negral”. Na primavera de 2020, com a ajuda de vários voluntários, foram feitas as sementeiras de várias centenas de carvalhos, em viveiro, os quais serão depois plantados em 2021 na Serra do Marão.

“A visão de longo prazo por detrás deste projeto de parceria entre a Quercus e a Kinahan’s Whiskey não é apenas sobre repor a população de carvalhos únicos usados pela marca, mas também aumentar a área ocupada por estas espécies de forma vasta, de forma a ajuda a sua trajetória de crescimento para as futuras gerações”, disse Zak Oganian, Diretor de Gestão da Kinahan’s Whiskey Co.

“Este é um projeto de longo prazo em relação ao qual tanto a Quercus como a Kinahan’s estão muito motivados. A nossa expectativa é que este projeto possa também inspirar muitas outras marcas a dar os primeiros passos com vista a tornar os seus processos de produção mais sustentáveis”, disse Paula Nunes da Silva, Presidente da Quercus.

 

 

 

Plantação em Lagos com a Astra Zeneca

120 colaboradores da multinacional farmacêutica Astra Zeneca participaram numa ação de plantação que decorreu no dia 11 de Janeiro de 2020, promovida pelo projeto Criar Bosques da Quercus em Lagos. Foram plantadas 5000 árvores, nomeadamente pinheiros-mansos, numa iniciativa que visou contribuir para a neutralidade carbónica da empresa.

Após Um Ano Dramático de Incêndios, a Legrand Elétrica, S.A. «Dá Uma Mão à Floresta».

 

Em 19 setembro de 2017 a Legrand Eléctrica, SA celebrou o inicio duma parceria com a Quercus, com o objetivo de contribuir na reflorestação de Portugal.

Este protocolo iniciou com um “workshop” de sensibilização ambiental para colaboradores Legrand no qual foi colocada a “primeira semente”. Seguiu-se uma campanha comercial com uma comunicação baseada na responsabilidade ambiental. Nesta campanha foi oferecida, a todos os clientes que aderiram, uma árvore simbólica e um convite para o evento “Venha dar uma mão à floresta”.

No dia 16 dezembro 2017, cerca de 90 voluntários, clientes e colaboradores Legrand plantaram 3.000 árvores na Herdade do Monte Barata (Centro do país) e celebraram este momento com um “picnic” conjunto.

 

Bem-vindo à página do projecto Criar Bosques

bosques_blog

Descrição do Projecto Criar Bosques (pdf)

QuercusCRIAR BOSQUES é um projecto da Quercus que visa criar e cuidar de bosques de espécies autóctones, árvores e arbustos originais da flora portuguesa. Através da colaboração com várias entidades e voluntários colhem-se sementes para produzir plantas, plantam-se árvores/arbustos, cuidam-se de bosques, recupera-se a floresta portuguesa. Aprenda mais nesta página sobre a floresta autóctone e sobre este projecto e ajude a mudar a floresta portuguesa inscrevendo-se também para CRIAR BOSQUES.

Objectivos do CRIAR BOSQUES:

  • Reproduzir árvores e arbustos autóctones, nomeadamente algumas espécies raras ou ameaçadas de extinção;
  • Restabelecer o coberto arbóreo e arbustivo autóctone em áreas públicas e privadas, através da plantação/sementeira e do aproveitamento da regeneração natural;
  • Disponibilizar plantas autóctones produzidas em viveiro para utilização em projectos de carácter conservacionista;
  • Desenvolver uma componente de educação ambiental, designadamente através da criação de parques botânicos de espécies autóctones em espaços públicos e privados;
  • Envolver entidades públicas e privadas no desenvolvimento do projecto através de acções que evidenciem a sua cultura de responsabilidade ambiental.

Associação Transumância e NaturezaAssociação Bairrada Solidária